3 de novembro de 2012

Mini Fic - Sem Ar.

Musiquinha da mini fic aqui, apertem o play só quando eu disser! ;)
n/a: Olha eu já enchendo desde daqui né?! .-. mas é pra esclarecer algo, lindas a contagem de tempo tem como ponto de partida a primeira cena e apenas ela ok?! :D
Agora sim, enjoy! 

***

- Eu não acredito nisso! – o grito da garota era estridente e misturava-se com os soluços do choro desesperado.
- Eu posso explicar! – o garoto tentava, em vão, convencer a namorada a ouvi-lo enquanto levantava-se da cama, tentando vestir suas boxers preta.
- Explicar o que? – ela perguntou com as mãos na cintura e a olhando com desprezo, nojo, mágoa...

Joe não soube o que responder. Apenas a encarava com cara de súplica e desespero, como quem pede, por favor. Ele não tinha o que dizer. Estava errado. Maldita a hora que decidiu ir pra festa com seus amigos. Maldita a hora em que decidiu beber. Maldita a hora em que levou aquela garota, que nem lembrava o nome, pra sua casa.

- Por favor Demi... – foi o que ele conseguiu dizer, sentindo os olhos arderem e o peito doer. Isso não podia estar acontecendo.

Demi olhou de Joe para a garota, nua, na cama dele e de volta pra Joe, girou nos calcanhares e foi embora, ainda chorando, ainda não acreditando, ainda decepcionada.

Joe nem ao menos teve a chance de ir atrás dela, quando conseguiu colocar as calças, ela já estava longe. O garoto sentou na beira da cama e apenas disse um “Sai” seco para a garota em sua cama, que vestiu-se em silêncio e fez o que lhe foi pedido. Joe não podia acreditar, ele tinha posto tudo a perder, tinha cometido o maior erro da sua vida. Ele a havia perdido.


Três semanas depois...

Inúmeras ligações não atendidas. Incontáveis mensagens não respondidas. Infinitas idas até o apartamento da garota sem que ela o recebesse. Demi o estava ignorando e isso  estava matando Joe por dentro.

O garoto nunca imaginou sentir uma dor tão grande. Era como se tivessem arrancado o coração dele e no lugar, onde antes pulsava o órgão, agora havia apenas um buraco, que servia para lembrar de como ele havia sido estúpido, burro, um completo idiota.

Martirizava-se a todo instante. Já não conseguia mais sorrir. Não saía mais com os amigos e nem tão pouco tinha ânimo para retornar as ligações, cheias de preocupação, dos mesmos. Apenas uma ligação lhe interessava, de uma pessoa apenas, mas ela nunca veio e, talvez, nunca viesse.

Demi não estava muito diferente. Somente a garota sabia o quanto estava sendo difícil ignorar o amor de sua vida. Toda vez que o celular tocava, toda vez que recebia uma mensagem e toda vez que o porteiro o anunciava era como se ela revivesse aquela noite.

Deus, como ela queria esquecer aquilo! Como queria poder apagar da memória a cena de Joe na cama com outra mulher. Era demais pra ela. Era demais pro seu coração. A vontade de correr até ele e dizer que não se importava a dominava a todo o instante, mas não era tão fácil. Como ela confiaria nele de novo?


Dois meses depois...

Nenhum contato, nenhuma ligação, nenhuma chance de reaproximação. Demi o havia banido de sua rotina e de seu grupo de amigos. Ela já não frequentava os mesmos lugares que ele e não permitia que seus amigos em comum falassem sobre ela pra Joe.

O garoto sentia que poderia morrer a qualquer momento sem ela. Sentia uma falta enorme da garota com quem dividiu tanta coisa, tantos momentos juntos. Sentia falta dos beijos, do sorriso que só ela tinha, dos carinhos, do cheiro, tão único, da pele dela... E eram só as lembranças voltarem à sua mente que as lágrimas voltavam aos seus olhos. Como pôde ser tão idiota?

Demi sentia-se mal. Era como se estivesse no piloto automático. Nada do que ela fazia era pensado, apenas vivia e agia de modo conveniente e robótico. Sentia-se fria por dentro, como se nada mais a pudesse fazer feliz. Realmente não podia. A única razão da sua felicidade a havia traído. Ainda doía lembrar.

Fazia muito tempo que não recebia visitas, por isso quando a campainha soou em seu apartamento, sua reação foi pular de susto. Quem poderia ser? O porteiro não havia anunciado ninguém. Pelo olho mágico reconheceu Selena, sua amiga de muitos anos, quase irmã. Mas o que ela estava fazendo ali? Havia, mais ou menos, dois anos que Selena tinha se mudado para França. Abriu a porta, tentando por um sorriso no rosto. Missão falha.

- Não adianta tentar me enganar. – foi o que Selena disse, com as mãos na cintura. – Eu já sei de tudo!
- Sabe? – Demi fez uma careta enquanto via a amiga entrar em seu apartamento.
- Sei sim, apesar de não ter sido por uma certa pessoa que se diz minha amiga, mas não tem a coragem de me ligar pra contar que precisa de ajuda! – Selena explodiu.
- Desculpa, eu não queria te incomodar com meus problemas... – Demi tentou se defender.
- Me incomodar? Desde quando amigos incomodam Demetria? – Selena disse, indignada.

Demi deu de ombros sem saber o que dizer. Selena continuava parada no meio da sala com as mãos na cintura, esperando uma reação da amiga.

- Ele me traiu Sel... – Demi disse depois de um tempo, com os olhos já tomados por lágrimas. – Aquele desgraçado estava com outra na cama dele...

E então Demi não suportou, caiu em pratos mais uma vez. Selena correu até a amiga e a abraçou forte. Ah, como Demi precisava daquele abraço! Sentia-se mais segura, como se não estivesse mais sozinha. Todas as lágrimas, que ainda estavam presas, rolaram por seu rosto. Demi sentia-se mais leve.

- Ei, tá tudo bem... – Selena sussurrou enquanto acariciava os cabelos da amiga – Você já conversou com ele?
- Não. – Demi respondeu balançando a cabeça em negação.
- Você precisa ouvi-lo amiga, saber o porquê disso... – Selena disse com voz calma.
- Não quero ouvir desculpas esfarrapadas Sel – Demi disse erguendo a cabeça e olhando pra amiga – Não quero ter que vê-lo de novo.

Selena suspirou e balançou a cabeça em afirmação. Conhecia a amiga que tinha, não ia adiantar forçá-la a nada, ela teria que decidir por si só. No tempo dela.

- Que cheiro é esse? – Demi perguntou depois de um tempo em silêncio.
- Cheiro? – Selena perguntou confusa.
- É... Um cheiro de perfume horrivelmente doce – Demi fez uma careta ao inalar o ar novamente.
- Ah deve ser o meu...

Mas antes que Selena completasse sua frase Demi já corria em direção ao banheiro e logo em seguida estava debruçada no vaso sanitário, despejando todo o seu almoço pela boca. Quando terminou, olhou para a amiga, que estava de braços cruzados e apoiada na batente da porta, e começou a chorar novamente. Não podia ser!

- Não me diga que você... – Selena começou a dizer, mas não terminou a frase. Não era preciso, o choro da amiga já respondia sua pergunta. - Você sabe que agora vai ter que falar com ele né? – Selena disse enquanto sentava ao lado da amiga e abraçava de lado.

Demi apenas afirmou com a cabeça. Como falaria isso a ele? Eles não estavam mais juntos. O destino estava brincando com ela, só podia ser!


Três meses depois...

Um mês havia se passado desde que Demi descobriu sobre a gravidez. Selena já havia ido embora, mas ligava pra amiga sempre que podia e sempre acabava ralhando a amiga por ainda não ter procurado Joe.

A garota sabia que devia fazer isso o quanto antes, mas estava com medo. Não via seu ex- namorado a muito tempo. E se ele estivesse com outra? E se não quisesse mais vê-la? E se ele não quisesse o bebê? Afinal, as ligações haviam parado, ele não a procurava mais... Devia ter cansado. Mas ele devia saber, era um direito dele.

Demi então decidiu: Depois do trabalho passaria na casa dele e contaria tudo. Se ele não quisesse o bebê ela o criaria sozinha. Isso! Solução perfeita. Agora só faltava a coragem ajudar.

Joe dobrava suas roupas lentamente, como se tal atividade fosse a mais complexa do mundo. A verdade é que queria adiar o que estava por vir. Havia desistido de correr atrás de Demi há algum tempo. Não porque havia deixado de amá-la, muito pelo contrário, tinha plena certeza que o amor que sentia por Demi só aumentava a cada dia e, junto com ele, a dor de estar sem ela.

Parou de procurá-la por respeito a ela e à decisão que havia tomado de não olhar mais na cara dele. Demi estava certa. Ele não merecia o amor da garota. Ela merecia mais que isso, mais do que ele tinha pra oferecer. Demi merecia ser feliz. Longe dele.

Foi esse pensamento que o fez aceitar a promoção que seu chefe lhe ofereceu. Iria para uma filial em Seattle, Washington. Longe o suficiente de Nova York. Longe o suficiente de Demetria.

A hora não passava para Demi. Os ponteiros pareciam ter feito greve e, simplesmente, não a ajudavam. Sentia-se ansiosa, afinal, era a primeira vez em três meses que o veria de novo. Depois de tudo o que aconteceu, eles estariam frente a frente. Pensar nisso fazia a, agora tão comum, ânsia de vômito dominar as entranhas da garota.

Quando, finalmente, o relógio marcou cinco horas, Demi pegou suas coisas e, como um raio, saiu em disparada em direção ao enderenço que, mesmo que se passasse a eternidade, ela jamais esqueceria.

Estacionou em frente à casa que tão bem conhecia, respirou fundo, uma, duas, três... É isso não estava adiantando. Demi sentia o corpo inteiro tremer e sua boca ficou seca. Estava nervosa e completamente amedrontada. Respirou fundo pela última vez e saiu do carro. Caminhou a passos lentos até a porta e, depois de hesitar uma vez, apertou a campainha.
 
Depois de alguns segundos, que para Demi mais pareceram anos, a porta se abriu e, para surpresa da garota, quem a fitava com os olhos arregalados, parado ali em sua frente, não era Joe e sim seu irmão mais novo. Isso não era bom.

- Nick? – ela perguntou confusa.
- Demi? – ele perguntou surpreso e até mesmo assustado.
- O que você faz aqui? – Demi perguntou, sem se preocupar se soaria grosseiro ou qualquer coisa do tipo.

Nick não morava aqui, vivia com os pais na Califórnia, raramente visitava o irmão. Pra ele estar ali algo muito sério tinha acontecido e Demi já podia sentir o medo tomar conta de todas as células presentes em seu corpo.

- Eu vim tomar conta da casa até...
-Tomar conta da casa? Cadê o Joe? Ele vai demorar? – Demi começou a perguntar atropelando as palavras e sem dar tempo de Nick responder. Ela estava com medo de ouvir a resposta.
- Demi, calma! – Nick disse segurando a garota pelos braços, delicadamente.

Demi respirou fundo, mas já podia sentir os olhos arderem. O olhar que Nick lançou pra ela era de compaixão e isso só fez seu medo aumentar. Onde diabos estava Joe?

- Joe foi embora. – Nick disse calmamente, como se tivesse lido a mente da garota.

Por um instante ela não acreditou, mas quando, finalmente, as palavras fizeram sentido, o chão embaixo dos pés de Demi sumiu e suas pernas já não sustentavam o peso do seu corpo. Se não fosse por Nick, teria caído no chão e, talvez, nunca mais levantasse, tamanho era o peso que seu corpo adquiriu de repente. Era demais pra ela.

- Demi...- Nick chamou – Demi, fala comigo...
- Quanto... Quanto tempo? – Demi perguntou em um rompante de lucidez.

Nick pareceu não entender a pergunta logo de início, mas assim que compreendeu o que a garota quis dizer, não tardou em responder.

- Ele disse que iria passar na praia antes. Saiu tem uns dez minutos. O voo dele está previsto para sete horas.

Demi checou o relógio, ainda faltava uma hora. Talvez se ela corresse, conseguiria evitar que ele fosse, mas será que era justo. Ele estava indo embora sem falar nada com ela. Isso queria dizer que ele a esqueceu, certo?

- Se você correr consegue alcança-lo – Nick disse.

Era o que ela precisava ouvir. Sem pensar em mais nada, saiu correndo até seu carro e, no caminho, gritou um “Obrigada!” para Nick que apenas riu e voltou para dentro da casa.

(n/a: apertem o play lindas! :D)

Demi acelerava o carro quase que na mesma velocidade em que seu coração pulsava. Não poderia perder Joe, não agora que um pedacinho dele vivia, literalmente, dentro dela. Eles estavam ligados pra sempre. Teriam laços eternos e nada mudaria isso.

Meus pés não tocam mais o chão
Meus olhos não veem a minha direção
Da minha boca saem coisas sem sentido
Você era o meu farol e hoje estou perdido

Joe estava sentado na areia e mirava o horizonte, quase que hipnotizado. Pensava em sua vida, em tudo o que estava deixando para trás e em tudo o que estava por vir. Não tinha mais certeza de nada, aliás, tinha sim, uma única: Jamais deixaria de amar Demi.

O sofrimento vem à noite sem pudor
Somente o sono ameniza a minha dor
Mas e depois? E quando o dia clarear?
Quero viver do teu sorriso, teu olhar

O coração de Demi pulsava forte e descompassado, suas mãos suavam e ela sentia o corpo tremer. Ela tinha que conseguir. Ele tinha que estar lá na praia ainda. Não sabia se quando o visse conseguiria perdoá-lo. Não sabia qual seria a reação dele. Tinha muitas incertezas na cabeça, mas sabia que quando o visse, saberia o que fazer.

Eu corro pro mar pra não lembrar você
E o vento me traz o que eu quero esquecer
Entre os soluços do meu choro eu tento te explicar
Nos teus braços é o meu lugar
Contemplando as estrelas, minha solidão
Aperta forte o peito, é mais que uma emoção
Esqueci do meu orgulho pra você voltar
Permaneço sem amor, sem luz, sem ar


O mar tranquilizava Joe, fazia seu coração se acalmar. Estava sentindo um vazio enorme no peito desde que perdera Demi e agora, ele sabia, esse buraco só iria aumentar. Sentiria falta dela, mais do que já sentia no momento, mas amava tanto aquela garota que faria isso por Demi. A deixaria em paz pra viver sua vida e ser feliz, como ele jamais seria sem ela.

Perdi o jogo, e tive que te ver partir
E a minha alma, sem motivo pra existir
Já não suporto esse vazio quero me entregar
Ter você pra nunca mais nos separar
Você é o encaixe perfeito do meu coração
O teu sorriso é chama da minha paixão
Mas é fria a madrugada sem você aqui,
Só com você no pensamento

Demi finalmente chegou a praia e estacionou em qualquer vaga e de qualquer jeito. Com certeza receberia uma multa por isso, mas não estava se importando no momento. Correu pela praia a procura de Joe. Como iria encontrá-lo ali? O lugar era enorme! Buscou por ele como pôde e por onde pôde, olhando para todos os lados. Nada.

Eu corro pro mar pra não lembrar você
E o vento me traz o que eu quero esquecer
Entre os soluços do meu choro eu tento te explicar
Nos teus braços é o meu lugar
Contemplando as estrelas, minha solidão
Aperta forte o peito é mais que uma emoção
Esqueci o meu orgulho pra você voltar
Permaneço sem amor, sem luz, sem ar


Ele não poderia ter indo embora, por Deus, ele tinha que estar em algum lugar! Demi já encontrava-se em completo desespero quando, ao girar pela areia, o viu. Sentado, com o olhar fixo no horizonte. Tão lindo quanto ela podia se lembrar. Ficou imóvel, sem coragem de se aproximar, talvez fosse melhor dar a volta e ir embora.

Meu ar, meu chão é você
Mesmo quando fecho os olhos
Posso te ver

Joe conferiu as horas no relógio, respirou fundo. Estava na hora. Levantou e passou a mão pelas calças para tirar o excesso de areia. Caminhou lentamente de volta ao carro. Algo estava dizendo pra ele ficar, algo parecia chamar por ele. Tão real. A voz do sua consciência era idêntica a de Demi. Era tão clara... “JOE!” Espera. Não era sua mente. Joe olhou pra trás e a viu. Era real. Ela estava lá e corria em sua direção. Parecia um sonho, mas era a mais pura e linda realidade.

Eu corro pro mar pra não lembrar você
E o vento me traz o que eu quero esquecer
Entre os soluços do meu choro eu tento te explicar
Nos teus braços é o meu lugar
Contemplando as estrelas, minha solidão
Aperta forte o peito é mais que uma emoção
Esqueci o meu orgulho pra você voltar
Permaneço sem amor, sem luz, sem ar

- Joe! – Demi gritou novamente, apenas para ter certeza que ele havia ouvido.

Joe a olhava incrédulo. Não se movia, não esboçava nenhuma outra reação, senão a surpresa. Por um momento, Demi achou que Joe, realmente, não a quisesse mais, até que o sorriso, que ela tanto sentiu falta nesses meses, surgiu no rosto de Joe, fazendo-a sorrir, involuntariamente, em resposta.

- Demi? – Joe perguntou quando a garota já estava a um passo dele. – O que você faz aqui?
- Não vai embora Joe! – Ela disse de uma vez. Sem cerimônias, sem rodeios. Direta. Antes que perdesse a coragem, antes que a mágoa a dominasse, antes que ele dissesse algo, antes que ela mesma conseguisse pensar no que estava falando. Seu cérebro agiu espontaneamente. Foi o coração de Demi quem fez aquele pedido.

Joe ficou atônito, não sabia o que responder, não sabia o que falar. Ela tinha mesmo pedido pra ele ficar?

- Fica aqui Joe, eu preciso de você – Demi fechou os olhos e respirou fundo, criando coragem pra completar a frase – nós precisamos de você.

Joe a olhou sem entender nada, mas quando Demi levou as mãos até o ventre dela, tudo fez sentido. O garoto abriu a boca várias vezes, sem conseguir emitir som nenhum. Não era possível, era?

Joe ergueu os olhos de volta aos olhos de Demi, pedindo algum sinal de que era brincadeira, mas a garota sorriu pra ele e deu o passo que faltava pra que os corpos deles ficassem bem próximos.

Demi pegou a mão de Joe e colocou em seu ventre. O garoto não resistiu, seus joelhos dobraram-se e ele pôs-se de joelhos em frente àquela que ele tanto amava e que, agora, carregava um filho dele.

- Me perdoa Demi, por favor, me perdoa... – Joe dizia entre lágrimas e soluços enquanto abraçava Demi e apoiava a cabeça na barriga dela.
- Eu devia ter escutado você Joe, eu devia ter conversado, eu também estava errada, me desculpa. – Demi disse também entre lágrimas.

Joe pôs-se de pé e colocou o rosto de Demi entre suas mãos, como se fosse algo precioso, que fosse quebrar a qualquer momento.

- Eu prometo que nunca mais vou fazer nada que te magoe Demi, prometo nunca mais perder você, prometo, meu amor... Eu prometo te fazer a mulher mais feliz do mundo! – Ele disse e, como se para selar essa promessa, colou os lábios nos de Demi de um jeito que misturava a delicadeza do amor que sentia e a voracidade da saudade que tanto o machucou durante esses meses.

- Eu te amo Joe! – Demi disse com toda a sinceridade que tinha dentro dela.
- Eu te amo Demi! – Joe respondeu com toda a felicidade que existia em seu ser.

Naquele momento uma nova história começava a ser escrita, sem lembranças ruins, sem mágoas, sem dores. Apenas o amor que, agora, não era apenas deles. Outro ser estava por vir, uma vida, que dependeria deles. O fruto de um amor capaz de superar, renovar, renascer ainda mais forte. Esse era o amor de Joe e Demi e era esse sentimento que os fariam seguir em frente e era por esse sentimento que valia a pena lutar.


“Perdoar é um ato de coragem. Lutar pela pessoa e demonstrar o seu perdão é um ato de amor.” - Jeniffer Koyama

Fim.



n/a:  Olá lindas! :D Mais uma Mini Fic e, lamento informar, essa será a última da temporada :(( Preciso me concentrar nas outras fics que escrevo se não desanda tudo sabe?! Mas quando tiver mais folgada com os capítulos de Sweet Seventeen e Stuck in The Past eu volto a escrever ;) Bem, quanto a Mini Fic eu AMO essa música e foi só ouvir pra história aparecer na minha cabeça e deu nisso... hahaha :D Espero que tenham gostado amores! Obrigada por tudo, comentem, me contem o que acharam e tals e até o próximo post! ;) Bjs! :**



COMENTÁRIOS RESPONDIDOS AQUI!

24 comentários:

  1. AAAAAAAAAH eu a-m-e-i essa fic! muuuuuuito linda e fofa.
    aw aw aw *uuuu* esse final foi perfeito!!
    essa mÚsica é linda!!! Nem me lembrava mais dela, mas é muito linda.
    *uuuuu*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Owm=n *.*
      que bom que você gostou, amor! :)))
      eu amo demais essa música. PERFEITA!
      Bjs! :**

      Excluir
  2. PERFEITA! Nossa vei, tava chorando ao ler kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada baby! <33
      eu chorei rios escrevendo! u.u
      Bjs! :**

      Excluir
  3. AAAAAAAAAAAAAAAAAAA meu Deus! É pra chorar, né??!?!?! Caraca, que perfeição! Socorro, lindaaaaaa e perfeita essa mini-fic! Você tem um dom pra isso que nossa! *-* Eu ameeeei, muito! <33
    Posta logo, tá? haha to curiosa pela fic!
    Mil beijos,
    Bruna <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hauhauhauhauh...
      sim, a intenção era fazer chorar! :)
      TUDO PQ TENHO CERTEZA QUE VC ME FARÁ CHORAR NA SUA FIC, JÁ TÔ ME VINGANDO! U.U kkkkkk...
      Obrigada linda!
      Que bom que gostou! :DD
      Bjs! :**

      Excluir
  4. chegay
    vey que mini fic phodaaaaaaa
    eu ameiiii
    e ja te divulgueyy amorr
    postei ve please!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada linda *.*
      Já deixei minha marquinha lá, hahaha...
      Bjs! :**

      Excluir
  5. eu ia ser terceira, demorei pra ler, e a mina postou primeiro, kkk!

    ResponderExcluir
  6. Heyyyyyyyy Sammyyyyyyyyy <3
    Ai meu Deus, que mini fic mais lindaaaa *-*
    Eu amei <3 Foi tudo lindo e fofo.
    Uma mini fic perfeitaaaa <3
    Posta Logooooooo!!!
    To curiosa pra saber oq vai acontecer na fic.
    Beijão ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou amore! :))
      Acho que vc vai gostar no capítulo que postei ;)
      huahuahauhau
      Bjs linda! :**

      Excluir
  7. taaaaaaaaaaaa perfeito.
    desde ontem que entrei no seu blog pela primeira vez to lendo, desde a primeira fic ~~fastlife~~. fui dormir super tarde mas, sua fic e maravilhosa, posta logooooooooooooooooo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. own linda! <33
      Seja BAM VINDA! :)))
      Obrigada de verdade! :DD
      Postei baby! <3
      Bjs! :**

      Excluir
  8. desculpa seu eu escrevi tudo errado, e que eu to comendo e comentando mas, acho que vc entendeu o que eu dissekkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      entendi sim linda! ;D

      Excluir
  9. Eu estou em prantos! De todas mini fics essa é a melhor. Eu amei a música... Ai meu Deus, eu não sei o que dizer! Tão... PERFEITO. Eu ainda to chorando. Meu Deus, que coisa linda! AAAAAAAAAAAAAAAAA eu não sem nem o que dizer sério. Eu simplesmente me apaixonei. Parabéns, ta muito lindo. E quero ver quando vou parar de chorar slçakkasklsa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own amore! :))))
      Nossa, que bom que gostou e tipo, eu tbm acho essa fic linda e tbm chorei MARES E OCEANOS escrevendo :~~
      Seu comentário me deixou MEGA FELIZ!!! :DD
      MUITO OBRIGADA! <33
      Bjs! :**

      Excluir
  10. aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa que lindo
    amei de verdade, até chorei !
    serio,muito profunda e tocante !!
    bjs linda e até ><

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. own baby!
      que bom que gostou! :DD
      Obrigada!
      Bjs amore! :**

      Excluir
  11. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA OMG essa mini fic foi PERFEITA! <3 Sammy, você não imagina o quanto eu chorei? :( A música (que eu amo demais), a história, o final... Tudo foi simplesmente PERFEITO! <3 Amei demais! Irei sentir falta das mini fics! :(
    Posta logo, babe!
    Beijo, Carol! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. aaaaaaaaaahhhhhhh lindaaaaa! :D
      que bom que gostou! :))))
      eu tbm vou sentir falta, hj mesmo tive uma ideia, mas espantei logo e me concentrei nos capítulos de sweet seventeen :x
      mas assim que tudo se organizar eu volto com elas ;)
      Postei amore! :)
      Bjs! :**

      Excluir
  12. OMG vou morrer ~nem liga pra mim ok?~
    AMEI AMEI AMEI AMEI AMEI
    Você escreve simplesmente perfeito OMG OMG ~me deu a loca u-u~
    Ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiii essa mini fic, na verdade amo tudo o que você escreve ><

    HAHAHAHAHAHA você ser perfeita s2



    Bjs Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahaha...
      Nossa amore, muito obrigada! :DD
      fico feliz que tenha gostado! <33
      amei seu comentário! :)
      Bjs baby! :**

      Excluir

Comentem, lindas e façam uma autora feliz! :D